Dicas do Dr. Marvin – Classificação das cirurgias quanto ao porte cirúrgico

Faturamento hospitalar

Classificação das cirurgias quanto ao porte cirúrgico

 

Dúvida do Assinante

“Como podemos classificar as cirurgias, quanto ao porte cirúrgico?


Resposta do Dr. Marvin

As cirurgias podem ser classificadas quanto ao porte cirúrgico ou risco cardiológico (pequeno, médio ou grande porte), ou seja, de acordo com a probabilidade de perda de fluidos e sangue durante sua realização.

– Grande porte: Com grande probabilidade de perda de fluido e sangue. Por exemplo: cirurgias de emergência, vasculares arteriais.

– Médio porte: Com média probabilidade de perda de fluido e sangue. Por exemplo: cabeça e pescoço – ressecção de carcinoma espinocelular, ortopedia – prótese de quadril.

– Pequeno porte: Com pequena probabilidade de perda de fluido e sangue. Por exemplo: plástica, mamoplastia e endoscopia.

Quanto ao tempo de duração as cirurgias ainda podem ser classificadas da seguinte forma:

– Porte I: com tempo de duração de até 2 horas. Por exemplo: rinoplastia.

– Porte II: cirurgias que duram de 2 a 4 horas. Por exemplo: colecistectomia, gastrectomia.

– Porte III: de 4 a 6 horas de duração. Por exemplo: craniotomia.

– Porte IV: com tempo de duração acima de 6 horas. Por exemplo: transplante de fígado.

 

Fique atento aos pequenos detalhes, pois eles fazem grande diferença no faturamento da conta hospitalar !!!


Espero que a dica tenha sido útil !!!

O bom entendimento das regras trará uma redução das glosas e um aumento da sua receita!

Se você tiver alguma duvida sobre faturamento hospitalar, clique no Dr. Marvin. As questões mais interessantes poderão ser abordadas nas próximas publicações deste informativo.

O Dr. Marvin deseja um ótimo trabalho e aguarde novas dicas sobre contas médicas e faturamento hospitalar.